Chegada dos primeiros colonizadores

 

No ano de 1500 as caravelas da esquadra portuguesa, comandadas por Pedro Álvares Cabral, chegaram ao litoral sul da Bahia. Nesse local havia um monte, sendo batizado posteriormente de Monte Pascoal. Apenas dois dias após a chegada, ocorreu o primeiro contato entre os indígenas que habitavam a região e os portugueses. De acordo com os relatos da carta de Pero Vaz de Caminha foi um encontro pacífico e de estranhamento, em função da grande diferença cultural entre estes dois povos.

 

Os dois primeiros povoados de europeus do Brasil foram fundados na Bahia. O primeiro em 1500 foi Porto Seguro e o segundo foi Caravelas, em 1503. Em Porto Seguro, frades franciscanos da frota de Cabral ergueram a primeira igreja brasileira, a Igreja de São Francisco de Assis.

 

Em Caravelas, fundou-se uma feitoria, onde foram deixadas 12 peças de artilharia e 24 homens.Em 1534, as terras do atual município de Caravelas faziam parte da Capitania de Porto Seguro. Poucas décadas mais tarde, em 1581, missionários católicos fundaram, perto do Rio das Caravelas, a Igreja de Santo Antônio do Campo dos Coqueiros. Colonos juntaram-se à missão, abandonada posteriormente. Os colonos retornaram ao local novamente em 1610.

 

No ano de 1700, o povoado foi elevado à categoria de vila, com o nome de Vila de Santo Antônio do Rio das Caravelas, por ato do Governador D. João de Lencastre, confirmado em alvará real no ano seguinte. O município envolvia os territórios de vários municípios atuais, incluindo o de Conceição da Barra, no Espírito Santo.
Em 1725, começou a ser construído o templo da Catedral de Santo Antônio, concluído em 1750. Houveram reformas posteriores. Caravelas tornou-se uma freguesia eclesiástica por alvará de 18 de janeiro de 1755. Nesse ano iniciou-se a construção, pelos escravos, da Igreja de Santa Efigênia, concluída em 1767.

 

Caravelas uniu-se a outras vilas e cidades baianas na Guerra da Independência do Brasil. A antiga vila abrigou um destacamento de tropa, comandado pelo Tenente Coronel Manuel Ferreira de Paiva. Em 27 de março de 1832, a expedição do navio Beagle, com Charles Darwin a bordo, chegou a Abrolhos.

 

Caravelas era sede de uma Comarca. Seu porto tinha grande movimento e, desde 1853, fazia parte da Linha do Sul da Companhia de Navegação a Vapor Bahiana. Em 1855, tornou-se a Cidade de Caravelas, pela Lei № 521, de 23 de abril. Em 1874, estava em construção a linha telegráfica do Governo, para ligar o norte e o sul da Bahia, até Caravelas. Cinco anos mais tarde, em 1879, o engenheiro baiano Miguel de Teive e Argollo, recebeu a concessão para construir e explorar a ferrovia Bahia-Minas, uma idealização sua. A Ferrovia foi solenemente inaugurada em 9 de novembro de 1882.

 

O trecho inaugurado partia da Ponta da Areia, em Caravelas, e seguia até a Serra dos Aimorés, na divisa com Minas Gerais, numa extensão de 142 km. Essa estrada de ferro representou um grande impulso de desenvolvimento para o extremo sul da Bahia. Infelizmente a estação foi fechada em 1966.

 

Em 1983, foi criado o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos que atualmente faz parte do município de Caravelas. No ano de 1996, foi fundado o Instituto Baleia Jubarte (www.baleiajubarte.org.br), em Caravelas, buscando proteger a reprodução das baleias que ocorrem na região todos os anos, entre julho e novembro na temporada das baleias jubarte.

 

Atualmente, Caravelas possui 22,6 mil habitantes (2017). O município é rico em belezas naturais, ecossistemas, praias e patrimônio histórico, incluindo igrejas do século 18 e casas do século 19, com azulejos de Macau.

 

Siga-nos:

Facebook
Facebook
Instagram
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial